quarta-feira, 17 de outubro de 2012

A imperatriz passeia-se pelos protectorados, parte II

Depois da Grécia, parando Atenas, é a vez da Tugalândia. Irá obrigar a dispositivo policial inédito e a barrar meia Lisboa. Custará caro e infernizará a vida dos que trabalham e vivem na capital dum país europeu. Mas então não devíamos trabalhar mais?
Ainda faltam 3 semanas para a parada, mas é melhor ir avisando: preparar os conterrâneos para o enxovalho... e os atalhos alternativos...
PS: para quem ainda embarca em milagres, aconselho a leitura do post «O golpe de Estado alemão».