terça-feira, 23 de março de 2010

Crisis, what crisis? - Immanuel Wallerstein em Lisboa

É já amanhã que o sociólogo norte-americano Immanuel Wallerstein (Yale University) conferencia em Lisboa sobre «Crisis, what crisis?» (FCSH-UNL, Av. de Berna, 26C, aud.º 2, 18h).

Para além da actualidade do tema, a relevância desta reflexão remete para a sua perspectiva de estudo alargado do capitalismo, tanto em termos espaciais como temporais, de que resultou a sua monumental obra O sistema mundial moderno (1974-89)*. Não bastasse este contributo, Wallerstein abordou também outros temas relevantes, como a relação entre ideologia e poder em European universalism (2006, recenseado aqui), ou entre ciência e poder em The uncertainties of knowledge (2004, introdução e cap. 1 aqui). Apresentou ainda as suas propostas políticas, duma sociedade igualitária baseada em organizações não lucrativas, em Utopistics: or historical choices of the twenty-first century (1998).

Um cheirinho da conferência pode ser lido em «Crise grega, eurotrapalhada, bagunça nas nações ocidentais, desordem mundial?» (v. o. aqui). Outra tradução afim, dada a conexão entre guerra e crise global, é «O declínio do império americano», resumo dum seu livro homónimo de 2003.

A conferência insere-se no âmbito do Seminário Vitorino Magalhães Godinho de Sociologia Histórica Comparada, o que não é uma coincidência: tanto Godinho como Wallerstein são discípulos dum historiador francês de referência, Fernand Braudel. De resto, a este último foi dedicado o Fernand Braudel Center for the Study of Economies, Historical Systems, and Civilizations, co-fundado por Wallerstein em 1976 e em cujo site se podem ler mais textos do autor.

*este estudo foi posteriormente condensado no livro Historical capitalism, with capitalist civilization (1995), com versão em português de 2001 (vd. aqui).