domingo, 23 de janeiro de 2011

Do horror

O escritor sueco Stig Dagerman colocou à entrada do seu romance A Ilha dos Condenados a seguinte epígrafe: «Há duas coisas que me enchem de horror: o carrasco dentro de mim e o machado por cima de mim.»

Também no meu país há muita gente cheia destes horrores. E ainda outros: a mesquinhez e o ressentimento exibidos na hora da vitória, a hipocrisia, a má fé, a indiferença perante o destino colectivo.

Mas…