segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Hugo Chávez: por ahora no pudimos

Foi apertado. No referendo realizado ontem,
o ''não'' teve 50,7% dos votos e o ''sim'' 49,29%.
Mais informações no El Universal e no Diario 2001.

2 comments:

Daniel Melo disse...

Que alívio! E é um aviso para outras veleidades autoritárias.
Só é pena que o mesmo não tenha sucedido na Rússia, onde o sistema eleitoral muito ajuda à engenharia política.
E constatar que tão pouco criticamente se fala da Rússia de Putin, que é mesmo aqui à porta. O Marlboro man das estepes também vende bem nos media a sua esfinge gaseificada. Olarilas.

Manolo Piriz disse...

Salve, Daniel.

O ex-KGB tá comendo pelas beiradas. Conseguiu o milagre da multiplicação dos eleitores e agora pode fazer mudanças na Constituição ao seu bel-prazer. Isto cheira mal que tresanda. Até na separatista Tchetchênia obteve mais de 99% dos votos. Vá ter poderes divinos assim lá nos confins do inferno! Até o francês Nicolas Sarkozy o felicitou "calorosamente" pela "vitória". Não sei quem é mais filho de Putin...