quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Parlamento da Suíça veta racista Blocher

O ministro racista da Justiça e da Polícia da Suíça, Christoph Blocher, não conseguiu ontem, em primeira votação, reunir os votos necessários no Parlamento para ser reeleito como membro do governo. Os parlamentares elegem hoje os sete membros do Executivo suíço, com a dúvida sobre se Blocher poderá ostentar o cargo de ministro por mais quatro anos. Na primeira votação, a ultranacionalista União Democrática de Centro (UDC), partido de Blocher, obteve 111 votos dos 246 legisladores que integram o Parlamento. No plenário houve momentos de tensão quando a esquerda festejou com gritos o resultado. Espero que o Parlamento suíço tenha juízo e rejeite o nome deste xenófobo definitivamente. Já há muitos canalhas no poder espalhados mundo afora. Os suíços não precisam de mais um.

Adendo:

Ufa! Agora é definitivo. Depois de 15 anos no poder, o homem forte da direita ultranacionalista, Christoph Blocher , foi finalmente expulso do governo suíço. Os imigrantes agradecem. Bye, bye cão-raivoso! Mais informação aqui.

5 comments:

evatrai craft design © disse...

Não tem nada a ver com este vosso post, mas deixo-vos (a vós, Peões) o link para um post nosso para entrarem na "opinação" se assim entenderem. http://evatrainanet.blogspot.com/2007/12/portugal-segundo-bidarra.html
Beijinhos, em especial para o Daniel e o Renato, que são os que conheço. (Não querem fazer uma festa Peão para nos conhecermos todos? :))

Renato Carmo disse...

Epá, há um jantar no próximo dia 21. Se o resto da 'peonada' concordar (e penso que todos concordarão) podemos estender o repasto às nossas amigas Evas (cuidado com elas!).
Envio-te por email a hora e o restaurante.
Bjs Renato.

evatrai craft design © disse...

:)Somos donas de um timing perfeito, entre muitas outras virtudes ;)

Zèd disse...

E agora um comentário ao post:

São boas notícias. Eu gostava mesmo era que os suiços deixassem a sua "fórmula mágica" de distribuir os sete lugares no governo por todos os partidos representados no parlamento, e fizem uma coligação sem a UDC para formar governo. Em democracia é normal ter uns no governo outros na oposição, esta mania de por toda a gente no governo dá nisto.

Manolo Piriz disse...

É verdade, Zèd. Mas o que chateia em tudo isso é a posição da esquerda suíça, que se compõe há anos com essa "magia" de fazer desaparecer as relações político-partidárias da vida pública. Espero que a queda de Blocher provoque, de fato, uma ruptura nesse modelo "paz e amor" de se fazer política e governar.