segunda-feira, 6 de abril de 2009

Natureza vs. homem?

Não, ambas as partes. Sempre que um terramoto espalha a destruição, é quase certo ser isso que sucede. Desta feita, foi na região de Abruzzo, em Itália: morreram 150 pessoas, 1500 ficaram feridas e 70 mil desalojadas (estimativas provisórias).

Mas porquê humano? É simples. Porque o homem continua a construir habitação e estradas onde não deve, em locais inadequados (em leitos de cheia, etc.) ou habitações fragéis. Ou a não escutar a opinião dos peritos, como agora parece ter novamente acontecido.

Em 1755, Lisboa foi atingida por um dos maiores terramotos de sempre. Apesar do impacto, até muito recentemente (porventura, ainda hoje, parcialmente) nem todos os edifícios são anti-sísmicos. Ou seja, pode voltar a suceder uma catástrofe em Lisboa. Por muita tecnologia que tenhamos desenvolvido, a natureza ainda nos prega partidas.

Este é mais um dos milhares de terramotos que já sucederam, mas quando tal ocorre muitos de nós sentimo-nos mais pequenos e vulneráveis. Como se, subitamente, fossêmos obrigados a relembrar quão contingente é a existência. A existência humana.

5 comments:

falas do_sempredidata disse...

valeu seu comentário....thonigomes.blog.uol.com.br

Manolo Piriz disse...

É, Daniel...

Agora, essas tais “autoridades” que não deram ouvidos à Ciência deveriam responder judicialmente por essa catástrofe humana.

Daniel Melo disse...

Caro falas do sempredidata,

estive a ver o blogue que recomendou, o Blog de thonigomes, e gostei do post sobre o terramoto, que está em sintonia com o meu, mas tem mais imagens da tragédia. Obrigado pela lembrança.

Daniel Melo disse...

Ora aí está uma questão, Manolo, para a qual parece que não há legislação, nem nacional nem internacional.

É necessária a criação duma entidade europeia para a área, e quando falo em «área» não estou apenas a pensar em sismologia mas em todo o tipo de catástrofes naturais, mesmo as causadas pela acção humana, como grandes incêndios florestais, cheias, etc.

Daniel Melo disse...

Ainda a propósito da responsabilidade humana na facilitação da destruição natural, vale a pena reflectir na recente declaração do PR italiano (vd. notícia «Houve irresponsabilidade em L'Aquila, diz o Presidente italiano», em http://jornal.publico.clix.pt/magoo/noticias.asp?a=2009&m=04&d=10&uid=&id=302277&sid=58165).