terça-feira, 21 de abril de 2009

O BES e a Matemática

Assisti ontem a uma informativa reportagem no telejornal sobre a motivação para a aprendizagem da matemática que o banco BES promove. Até parecia uma pequena e inofensiva improvisação teatral com uma caixa multibanco de papelão, à frente de uma impecável assembleia de alunos da primária, exclusivamente rapazes e todos de gravata. Só que no final, o jornalista pergunta a um desses impecáveis alunos o que ele tinha aprendido e a resposta foi que quando emprestamos dinheiro alguém, a pessoa não nos devolve exactamente a quantia emprestada, mas um pouco mais... Na imagem seguinte surge Nuno Crato também de gravata a falar das maravilhas desta acção escolar, porque as crianças adoram a Matemática.
O BES adora o dinheiro, as crianças adoram a Matemática e o Nuno Crato adora aparecer na televisão.

3 comments:

Daniel Melo disse...

Parece incrível, é só má-língua!
Então se o homem é divulgador, tem que divulgar por aí, aqui e acolá e lá longe, ou não é? Hum?
É só inveja, é o que é!

Quanto ao BES, além de $ também parece que gosta dumas figuras pouco recomendáveis oriundas da América Latina.

E as crianças, yes!, desde que sejam os pais a pagar, dãh!

jrd disse...

o BES é que sabe: Pais, filhos e espíritos santos, só a Matemática engravatada está a mais.

Manolo Piriz disse...

Bem, Sofia. Pros bancos, a lógica matemática é bem relativa. O que pra eles é uma adição, pra nós pobres mortais é uma subtração, o que é = a multiplicação dos lucros de seus respectivos banqueiros.