quinta-feira, 26 de abril de 2007

Só pode ser coincidência...

O dia de hoje (quinta) tem sido uma sequência de acontecimentos "bizarros" a propósito do debate entre Ségolène Royal e François Bayrou. Royal, num acto que me parece de grande inteligência e democraticidade, propôs um debate público com Bayrou. Um debate para discutir o posicionamento do terceiro candidato mais votado na primeira volta. Esse debate pode servir para establecer pontes entre os dois, eventualmente um apoio de Bayrou, com o mérito de ser feito de forma aberta e transparente, e não nas costas dos eleitores. Há acordo entre Bayrou e Royal para o debate, e aí começam as coisas esquisitas. Primeiro Royal propôs um encontro sexta-feira, por ocasião de um forum com a imprensa regional, Bayrou aceitou, é o sindicato da imprensa regional que recusa o debate. Ségolène Royal e Bayrou chegam novamente a acordo para um debate na televisão, sábado no Canal +, mas é a direcção do Canal + quem anula o debate, por indicação do Conselho Superior do Audiovisual. Estranha esta situação em que os intervenientes estão de acordo para que se faça o debate e são os media quem impede que ele se realize. Obviamente que é a Sarkozy que este debate não interessa nada. Não é de agora que Sarkozy tem uma grande inluência nos media, e do lado dos socialistas já surgiram acusações de pressões sobre os media para que não haja debate Royal - Bayrou. Se isso é verdade é um tiro no pé (digo eu...), ou então estariamos numa situação muito grave para uma democracia se o debate acabasse por não se realizar.

Adenda: O Conselho Superior do Audiovisual negou ter dado qualquer indicação ao Canal + para que o debate não se realizasse, a inteira responsabilidade é do próprio Canal +. Entretanto há de novo acordo entre Bayrou e Royal, e um outro canal de televisão para um debate sábado à tarde, vamos a ver se se mantém...

2 comments:

Hugo Mendes disse...

Esse episódio é verdadeiramente surreal.

Bacalhau Sardina Assada disse...

E o resto ???

Caso "Paris-match". Cecilia Sarkozy aparece em 1era pagina desta revista com outro homem. furia de sarkozy que promete que isto nao ficara assim. Alguns meses mais tarde, o director da revista é mandado embora. Coincidencia ???

Caso "TF1- Laurence Ferrari". Numa entrevista com Sarkozy esta jornalista aperta um pouco mais do habitual o senhor Sarkozy. A direita ficou chocada. 2 meses mais tarde ela e o seu marido "thomas hugues",diretor da redacçao, teem que deixar o 1ero canal televisivo de direita. Coincidencia ???

Caso "le figaro". Joseph Macé Scaron acaba de revelar que foi mandado embora deste jornal por nao lamber as botas do Sarkozy tal como queriam os seus superiores. Coincidencia ???

E agora estes casos de recusa sucesivos, coincidencia ???