quarta-feira, 25 de junho de 2008

“1.000.000 de assinaturas contra as leis discriminatórias do Irã”

Desde o início de abril, jornalistas do sexo feminino enfrentam uma forte onda de repressão por parte das autoridades iranianas. Algumas foram presas e condenadas a 10 chicotadas (como foi o caso da jornalista Nahid Jafari), outras intimidadas e uma foi proibida de deixar o país. Desde então, o Tribunal Revolucionário de Teerã não tem dado trégua e até provedores de Internet têm recebido ordens para bloquear o acesso a centenas de sites que mantenham em seu conteúdo opiniões consideradas dissidentes ao governo. Nos últimos dias, foram bloqueados diversos sites e blogues feministas, como Meydaan-e Zanan (Campo das Mulheres), Kanoon Zanan Irani (Centro das Mulheres Iranianas), Shir Zanan, que cobre eventos esportivos femininos, e o Change for Equality.

Aqui o link da campanha “1.000.000 de assinaturas para mudar

as leis discriminatórias contra a mulher no Irã”.

2 comments:

aly disse...

Uma lei, somente uma
lei, regulando a prática
discriminatória de ser eu,
mais ninguém, o das taboadas
dos desejos multiplicatórios
na savana, savanas de lençóis
nos quartos proibidos do desejo.

Manolo Piriz disse...

Salve, Aly.

Bons ventos estes que te trazem até este lado do Atlântico. Tim-tim.

Um forte abraço, véio.