segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Independentes? Mas não muito.













À primeira vista, nem democratas nem republicanos. É o que diz a sondagem do instituto Pew realizada há poucos meses. Segundo este resultado, 37% dos eleitores norte-americanos se confessam independentes, contra 36% de democratas e somente 27% de republicanos. Apesar dos números mostrarem esta tendência (aliás, esta tendência vem aumentando em torno de 70% ao ano), eles não são tão independentes assim como se imaginam e na hora “H” 15% deles mudam de idéia e acabam por votar no Partido Democrata, enquanto 10% elegem o candidato do Partido Republicano, como revela também a mesma sondagem. O que se deduz que tanto Barack Obama como Jonh McCain terão de brigar (e muito) por esses eleitores, pois não podem contar apenas com a vitória com base na força de seus respectivos partidos.

Além dessa preocupação, tanto democratas como republicanos têm de estarem atentos aos candidatos que devem atrair os eleitores de fato independentes, para que não percam votos que possam ser decisivos na contagem final. Entre eles destaco a candidata verde (Green Party), Cynthia McKinney, o socialista Brian Moore (Socialist Party USA), o independente Ralph Nader, Bob Barr, do Partido Libertário (Libertarian Party), ou de Chuck Baldwin, que é candidato pelo Partido da Constituição (Constitution Party). Estes com certeza “roubarão” alguns votos ou de Obama ou de McCain.

Cynthia McKinney (foto à esquerda) - Foi eleita para a Câmara dos Representantes (1993-2003 e 2005-2007) e deixou o Partido Democrata em setembro de 2007. Centra o seu discurso na luta contra as desigualdades de raça e de classe. Porpõe uma uma nova ordem social nos EUA. É com certeza o grande diferencial nesta eleição. Pode tirar muitos votos de Obama na Geórgia, sobretudo na comunidade negra.

Chuck Baldwin Charles O. Baldwin é pastor da Igreja Batista e radialista. Saiu do Partido Republicano e levou com ele eleitores conservadores cristãos. Deixou o partido após a escolha de Bush, em 2000, por considerá-lo demasiadamente liberal. Com esse perfil, não tenho a menor dúvida de quem ele “roubará” alguns votos.

Ralph Nader e Bob Barr – Ambos defendem suas candidaturas em protesto ao domínio do governo americano pelos democratas e republicanos. O primeiro apoiou, em dezembro de 2007, a candidatura do democrata Edwards. Tentou concorrer pelos verdes, mas quebrou a cara. Deve tirar mais votos democratas. Já Barr e um ex-republicano que rompeu com a administração do presidente George W. Bush por considerá-la nociva às liberdades civis.Esse não deve fazer qualquer diferença, pois é uma “Maria vai com as outras”: ora defende a guerra ora se opõe a ela.

Brian Moore (foto à direita) – Essa é uma candidatura de resistência. O que poderá fazer um candidato verdadeiramente socialista (Socislist Party –US) na “Meca do capitalismo”? Infelizmente, nada ou quase nada interferirá neste cenário polítco.

Além desses candidatos que considero mais sérios, a eleição norte-americana terá mais uma dezena deles. Entre eles alguns são bem caricatos ou, na melhor das hipóteses, muito estranhos que querem apenas os seus 15 minutos de fama. É o caso, por exemplo, de Cris Ericson que disputa a presidência dos EUA pelo Partido da Maconha (US - Marijuana Party) e um maluco irreversível conhecido por Jonathon “O Empalador” Sharkey (foto). O homem foi indicado por um tal Partido Pagão Vampiros e Bruxas. Estes, sequer conseguirão ter os seus nomes inscritos nas cédulas de votaçãom em 4 de novembro próximo.

1 comments:

RESSACA ® disse...

Pedindo antecipadas desculpas pela “invasão” e alguma usurpação de espaço, gostaríamos de deixar o convite para uma visita a este Espaço que irá agitar as águas da Passividade Portuguesa...