sábado, 24 de outubro de 2009

E Crumb recria o Universo

peao E não é que o santificado ícone da cultura underground dos comics resolveu recriar o Universo. É isso mesmo. Só que não foi em 7 dias. Tudo bem que o cara é também considerado por muitos um Deus lisérgico da Banda Desenhada. Mas tem lá os seus limites como qualquer outra criatura na face da Terra.

Depois de 4 anos de intensos estudos, Robert Crumb editará no próximo dia 29 sua tão aguardada versão ilustrada dos 50 capítulos do Livro do Gênesis. O lançamento ocorrerá simultaneamente nos Estados Unidos, 10 países europeus e Brasil.

Cheap Thrills Para aqueles que esperam do criador de “Mr. Natural” e “Fritz the Cat” uma adaptação livre tipo sexo, drogas e rock 'n' roll certamente quebrarão a cara. Nesse trabalho, o autor optou por seguir o texto original sem qualquer outro simbolismo ou perversão. “Delírios ou não, as histórias do Gênesis são maravilhosas, como todos os mitos. Por que mudá-las? Um Deus mulher. E preta, porque não. E, além disso, revelo, o desenhei como me apareceu num sonho... E olha que estou sóbrio há muitos anos”, diz Crumb. Enfim, parece-me que a Bíblia está na moda.

PS. Clumb também fez a famosa ilustração da capa do disco “Cheap Thrills” (1968), da sua grande amiga Janis Joplin.

Fonte e imagens La Vanguradia (ES).

2 comments:

gdsantos disse...

looking forward to it!

fui ver 'inherit the wind' na sexta passada no old vic em londres. O tema desta famosa peca de teatro sao os violentos debates americanos sobre a origem dos homens: devemos seguir o livro do genesis ou o livro de darwin?

sera crumb uma versao contra-cultura desta obsessao americana com o genesis? ou sera....

Manolo Piriz disse...

Olá, gdsantos.

Eu particularmente sigo o da “Origem das Espécies”, mas cada um deve ter o a liberdade de seguir o que o seu arbítrio determinar, dentro, é claro, de um Estado laico. Aliás, o Vaticano já não está assim tão avesso à Teoria da Evolução, ao rever a interpretação literal da Bíblia e aceitar a teoria de um criacionismo progressivo e contínuo, dentro de um evolucionismo teista. Isso já é um bom sinal.

Quanto ao Crumb, creio a sua maior motivação é o dinheiro que vai ganhar com o livro. Ele apenas “suspeita que Deus exista”.