sexta-feira, 7 de setembro de 2007

As utopias a Sul do peão

No último n.º do Diplô, acabadinho de sair, destaca-se a colaboração do excelso peão Renato, com um texto de fôlego sobre «A aldeia urbana: uma pequena utopia para o Alentejo».
É verdade que a viagem por terras do Sul é de carrinpana (e não pedonal), mas nem por isso perde o seu encanto, pois é muito cinematográfica, intimista e luminosa. No fim, avança com uma ideia forte: "O desenvolvimento do Alentejo não se concretiza somente nas grandes obras públicas ou na rentabilização da paisagem. A boa relação gerada entre as cidades e as aldeias é um pilar essencial e incontornável para o futuro da região e das suas populações, que não pode ser ignorado". Tudo isto a propósito das suas revisitações à aldeia de Albernoa.
O n.º tem ainda um forte dossiê português sobre as «Novas precariedades em Portugal». E uma recensão deste vosso peão sobre o livro Miguel Torga e a PIDE, de Renato Nunes. Mais informações aqui. Então, boas leituras!

3 comments:

Renato Carmo disse...

"excelso peão Renato" soa bem :)))

Um abraço e cuidado com o choco frito.

Zèd disse...

"O desenvolvimento do Alentejo não se concretiza somente nas grandes obras públicas (...)"

Concordo inteiramente, e diria mesmo mais: o desenvolvimento do Alentejo não se concretiza de todo nas grandes obras pùblicas. Veja-se Sines e o Alqueva que antes de serem feitos foram vendidos como a solução màgica para os problemas do Alentejo, e vê-se agora que não resolveram coisa nenhuma.

Albernoa disse...

http://www.albernoalive.pt.tc