terça-feira, 2 de junho de 2009

Governo chinês quer apagar da memória o massacre da Paz Celestial

paz celstical Na próxima quinta-feira (4/06) cumprem-se exatos 20 anos do massacre comandado pelo governo chinês contra os estudantes e trabalhadores, que se manifestavam na praça da Paz Celestial para pedir por reformas políticas na China. O resultado dessa ação violenta foi a morte de mais de 3.000 pessoas e aproximadamente 60.000 feridos. O episódio foi imortalizado pela imagem de um jovem se colocando em frente a uma fileira de tanques militares, na tentativa de impedir o combate. Até hoje não é sabida a identidade e o destino desse jovem.

Para que esta data não seja lembrada, as autoridades de Pequim bloquearam hoje todas as redes sociais na internet, como o Twitter, o Flickr e os serviços do Hotmail. A censura aos endereços na web começou há algumas semanas, quando outras ferramentas da web como os servidores de blog Blogspot, Wordpress e o portal de vídeos YouTube foram bloqueados.

Até os dias que correm a China não permitiu qualquer investigação independente sobre este massacre e tem se portado da mesma forma que há 20 anos. No período que antecedeu as Olimpíadas, o governo aumentou a repressão contra os defensores de direitos humanos, contra as pessoas que praticavam alguma religião, contra minorias étnicas, advogados e jornalistas em todo o país. Além disso, a China é o país que mais executa pessoas no mundo. Leia aqui Relatório 2009 da Anistia Internacional.

2 comments:

jrd disse...

Esta, como outras memórias de outras paragens, permanecerá indelével na "memória dos Homens livres", estejam eles onde estiverem.

Manolo Piriz disse...

É isso aí, jrd.

Podem calar a boca de muitos, mas não a História.