sábado, 6 de junho de 2009

O que Berlusconi faz com o seu pênis é problema dele e de quem se satisfaz com ele

berlusconi O primeiro-ministro italiano não é flor que se cheire e política e pessoalmente não tenho a menor simpatia por ele. Ao contrário. Tenho tudo contra. Entretanto, o que ele faz com o seu pênis (desde que não nós foda com ele) é problema exclusivamente dele e de suas parceiras de alcova, que aliás deveriam escolher melhor quem as penetra. Porém, gosto é gosto e não serei eu a criticar eventuais desvios sexuais de quem quer que seja. Digo desvios porque, valha-me Deus, ter qualquer tesão por um homem tipo Berlusconi é uma evidência incontestável de muito mau gosto e demonstração de profundo desrespeito com a respectiva genitália. É como jogá-la ao lixo, digamos. Agora, o que é condenável de fato é a exploração sensacionalista do El Pais sobre este fato. Mas, enfim, um jornal que se aliou ao asqueroso Aznar ao responsabilizar sumariamente o grupo separatista basco ETA (longe de mim defender as suas ações terroristas - que fique claro) sem qualquer investigação prévia pelos atentados terroristas do 11-M não é lá muito sério.

2 comments:

Porfirio Silva disse...

Ler o El País com cuidado faria jeito. O que está em causa é o uso de meios públicos para os fins privados do tal pénis. Isso foi explicitamente explicado pelo quotidiano em editorial.

Manolo Piriz disse...

Não meu caro Porfirio.

Estás totalmente equivocado. Li sim com cuidado a reportagem que originou o fato e por isso cheguei ao post. O foco principal do texto conduz somente às fotos publicadas, com objetivo visivelmente sensacionalista, onde a questão política figura timidamente num segundo plano. Tanto que o título do artigo é “As fotos vetadas por Berlusconi – El País publica com exclusividade as imagens censuradas em Itália...” (conf. imagem do post). No texto em questão fala-se (mas bem lá no final) apenas que as tais fotografias originaram um investigação sobre um “suposto uso indevido” de aviões oficiais. Entretanto, o mesmo repórter que produziu as tais fotos “proibidas” diz ter testemunhado por diversas vezes “desembarque de amigos, artistas, bailarinas do primeiro-ministro em aviões oficiais da Aeronáutica Italiana”, mas até o memento as tais fotos não foram publicadas pelo El País. Muito estranho, não? Agora, se o que está em “causa é o uso de meios públicos para os fins privados do tal pénis”, creio que o material fotográfico e o teor do texto deveriam ser apresentados de outra forma, não como o foi.