quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Adorava estar «in», mas estou-me a sentir «out»*

Ainda indecisa sobre o que pensar em relação à Time Out depois de ter lido o nº1, e que até foi difícil de encontrar, porque esgotou ao fim de poucas horas, resolvi, hoje, comprar o nº2. Será, provavelmente, o último número que compro. O estilo «descontraído», «irreverente» e com «graças» em todas as frases é muito cansativo e parecido com aquelas rádios, em que os jornalistas falam todos muito depressa, mesmo às 8.30h da manhã.
A informação útil sobre Lisboa, claro que quase se repetiu de um número para o outro; seja porque lado queiramos pegar na questão, nesta cidade não se passam acontecimentos em quantidade suficiente para a periodicidade semanal da revista.
Finalmente, o que fez mesmo com que me decidisse foi um artigo a suspirar pela abertura de um Starbucks em Lisboa. O artigo, da autoria de João Cepeda, o próprio director da publicação, defende que a capital só não é totalmente cosmopolita e cool, porque não andamos todos a beber café em copos gigantes de esferovite e, em consequência não podemos ter esses mesmos recipientes poisados nas nossas mesas no emprego, o que nos daria um estilo sem fim. Confesso que faço parte daqueles para quem «o famoso logótipo das lojas americanas ganhou estatuto de inimigo de estimação», e que ficarei triste no dia em que assistir, e será inevitável, à inauguração de uma dessas lojas numa cidade, onde não faltam cafés a servir bicas, cariocas, descafeinados, italianas, garotos que até podem ser de lotes mais duvidosos e terem nomes como Camelo e Chave d'Ouro, infinitamente menos sonantes que Guatemala Antigua ou LightNote Blend® - Decaf.
Acho que vou mesmo continuar a planear gratuitamente a vida social pela Agenda Cultural publicada pela Câmara Municipal.
*Jorge Palma- Frágil, 1989



5 comments:

Daniel Melo disse...

Além da Agenda Cultural há também a agenda electrónica «Le cool magazine», que recomendo vivamente: é bem feita, vai directo ao assunto e é de graça (vd. http://lecool.com).
Além disso, pode solicitar-se, também gratuitamente, que nos enviem para o nosso endereço a agenda semanal logo que esta sai, o que é muito cómodo.
Costuma sair às 5.ªs feiras, salvo erro.
Não há que inventar :)

José Reis Santos disse...

Ia dizer exactamente o que o Daniel escreveu. Sem dúvida a melhor agenda da cidade (e que prova que, defacto, muito acontece - e de interesse - com cadência semanal.
Sai mesmo á 5ª, e no blogue costumo colocar um pequeno apanhado do que mais me interessa (de pintura à dança, a conferencias a concertos, de bares a uma festa)

Sofia Rodrigues disse...

Obrigada pela sugestão. Vou passar a consultar. Quanto à cadência semanal é que não há nada a fazer ;-)

Anónimo disse...

bom post engraçado e certeiro

Time Out Lisboa disse...

Cara Sofia,

É sempre com muita atenção que lemos todas as críticas e elogios que até agora foram feitos à revista.

Não queríamos deixar de agradecer o facto de teres avaliado a revista e de teres escrito sobre a Time Out no teu blog, para nós é importantíssimo seguir a par e passo tudo o que acontece na cidade assim como todas as opiniões, que fazem de Lisboa o nosso grande tema de trabalho.

Os artigos de opinião são exactamente isso, opiniões. A verdade é que se concordássemos e todos tivéssemos a mesma opinião o nosso trabalho deixava de ser o grande desafio que é hoje. Mas gostamos de sentir o burburinho na cidade do “concordo ou não concordo”, esse é sem dúvida um factor de que a Time Out depende.

Agora surge um novo desafio, uma capa que te faça comprar novamente a Time Out Lisboa. Fica prometido.

Ana Alcobia
MKT
Time Out Lisboa
Todas as 4as nas bancas