sexta-feira, 19 de outubro de 2007

O caso Fernando Charrua: the day after

O Público de hoje dá-nos conta do que sucedeu a Fernando Charrua do caso DREN, e, a notícia, é tristemente hilariante.
Depois das presumíveis palavras ofensivas, o funcionário foi suspenso das suas funções e devidamente castigado com uma colocação... na biblioteca (em não havendo galés, logo parece este o segundo melhor sítio para cumprir uma pena). Incrível despromoção, ir parar ao local, onde se encontram todos os trabalhadores suspeitos e/ou chanfrados dos departamentos públicos. Neste caso, a situação ainda era mais aterradora: a sua pequena secretária estava junto aos dicionários (?!?).
Como se esta punição não fosse suficientemente humilhante, Charrua é, agora, professor no activo, seguramente o fim da linha de qualquer carreira profissional iniciada em gabinetes de poder e que quando corre bem, acaba no Conselho de Administração da Caixa Geral de Depósitos com uma enorme secretária.
Com este percurso aziago, que passa pelos locais mais infames da sociedade portuguesa: bibliotecas e salas de aula, é natural que o implicado tenha recorrido a antidepressivos e emagrecido 14 kg.
Fiquei sem perceber bem qual era o objectivo do jornalista e não sei se fiquei completamente solidária com tão trágico desfecho para um caso que é estapafúrdio desde o início.

1 comments:

João disse...

li a noticia e o meu espanto foi o seu.
Não percebi a que castigo o jornalista se referia.
Quem me dera ter uma secretaria junto a dicionários na biblioteca.