segunda-feira, 9 de março de 2009

Aumentam os países desenvolvidos pró-software livre, com o sensato argumento da redução de custos

Depois do Canadá e da Espanha, é agora a vez do Reino Unido alinhar no apoio às aplicações de fontes abertas. Torna-se, assim, ainda mais caricato o monopólio que o governo português resolveu dar de mão beijada à Microsoft, do qual falámos aqui.
A justificação que os países desenvolvidos dão para apoiarem o software de código aberto é bem simples: a redução de custos, ainda mais premente num período de crise como o actual. No Reino Unido, a entidade que tomou essa decisão foi o Conselho Britânico para a Informação. O desenvolvimento do tema vem nesta notícia do El País'Software libre' para gobiernos en crisis»).