segunda-feira, 30 de março de 2009

Cinema perde um pouco de musicalidade: Maurice Jarre (1924 – 2009)

Morreu na madrugada deste domingo o compositor francês Maurice Jarre, autor de inesquecíveis e inspiradoras trilhas sonoras de clássicos do cinema como Lawrence da Arábia (1962), Doutor Jivago (1965) e Passagem para a Índia (1984). Jarre estava com 84 anos e faleceu em Los Angeles, nos Estados Unidos.

Lawrence da Arábia:


Doutor Jivago:


Passagem para a Índia:


4 comments:

Daniel Melo disse...

Gosto muito do Lawrence da Arábia. A música ajuda bastante a criar aquela ambiência meio épica, meio demencial.
Já agora, Manolo, será que podes esclarecer uma dúvida: por acaso, o Jean-Michel Jarre, mais conhecido pela gerações da música electrónica, não será seu parente?

Manolo Piriz disse...

É verdade, Daniel.

Ele tinha todo esse encanto. Imagens e sons se fundiam perfeitamente numa só sensação, onde às vezes as notas musicais ganhavam tons coloridos e as imagens sonoridade. Aliás, graças à música, o Cinema nunca foi mudo. Jean-Michel Jarre é filho dele.

Daniel Melo disse...

Obrigado, Manolo, por responderes à curiosidade de numerosas famílias.

Bem me parecia que aquele gaiato dos sintetizadores tinha sido desencaminhado precocemente dos estudos por mãozinha paterna...

Manolo Piriz disse...

Ah, Daniel. De fato, tem pai irresponsável que não sabe educar os seus pimpolhos...