quarta-feira, 4 de julho de 2007

It takes two to Tango

Caro Renato, começar uma frase por "A pior maneira de se..." qualquer coisa é sempre um enorme risco, pode sempre encontrar-se algo pior. A mim dicotomia da argumentação, mesmo se por vezes levada ao extremo do maniqueísmo, parece-me apenas humana. Todos sistematizamos as questões e os debates, separamos o que concordamos do que discordamos, é assim a vida e é preciso viver com isso. O pluralismo é o resultado do debate entre várias pessoas com sensibilidades diferentes, não podemos esperar encontrar o pluralismo dentro de uma mesma pessoa. Que as correlações apontem sempre no mesmo sentido é apenas uma questão de coerência. Todos temos as nossas correlações coerentemente apontando no mesmo sentido, e é uma chatice que os outros não percebam que o nosso sentido faz mais sentido que o deles. Ele há-os mais obstinados que outros, e isso é normal e aceitável. Mas convém nunca esquecer que os argumentos se combatem com argumentos, os argumentos concretos com argumentos concretos. A obstinação dos outros, o sentido sempre constante das suas correlações, a dicotomia dos seus argumentos é irrelevante. Não me parece que o problema esteja aí.
O que eu lamento é quando se desiste do debate. Quando se acha que não vale mais a pena a troca de ideias. O tal problema tão endémico da esquerda, apregoa a diversidade mas é incapaz de viver com ela.
Quanto ao "Peão" se "com o tempo o blogue vem perdendo brilho", se "As ideias tornaram-se baças e esquivas", depende apenas do "Peões" que por cá andam, que são muitos, alterar isso.
A pior maneira de debater ideias é esquecer-se que ideias estão a ser debatidas.

3 comments:

Renato Carmo disse...

«"A pior maneira de se..." qualquer coisa é sempre um enorme risco, pode sempre encontrar-se algo pior».

Mas também se pode encontrar algo muito melhor. Vale a pena correr o risco.

«A mim dicotomia da argumentação, mesmo se por vezes levada ao extremo do maniqueísmo, parece-me apenas humana. Todos sistematizamos as questões e os debates, separamos o que concordamos do que discordamos, é assim a vida e é preciso viver com isso».

Concordo, é preciso aprender a viver com isso. E o primeiro passo para isso acontecer é não nos isolarmos na nossa própria argumentação como se tudo o resto fosse absurdo.

«Quanto ao "Peão" se "com o tempo o blogue vem perdendo brilho", se "As ideias tornaram-se baças e esquivas", depende apenas do "Peões" que por cá andam, que são muitos, alterar isso».

Mais uma vez concordo, vamos a isso!

«A pior maneira de debater ideias é esquecer-se que ideias estão a ser debatidas».

Não estou esquecido!

Um abraço, Renato.

Zèd disse...

"Mas também se pode encontrar algo muito melhor. Vale a pena correr o risco."

Vamos a isso!

Abraço

Zèd

Tiago disse...

mas porque e' que voces insistem que isto tem alguma coisa a ver com a "esquerda" quando e' obvio que tem a ver com duas personalidades dificeis