segunda-feira, 18 de maio de 2009

“Dspués de todo, la muerte es sólo un síntoma de que hubo vida".

Mario Benedetti (1920 - 2009), poeta, novelista, contista, ensaísta, dramaturgo e crítico uruguaio, faleceu ontem aos 88 anos. Autor de mais de 80 livros, ele recebeu vários prêmios literários, entre eles o Prêmio Rainha Sofia de Poesia Iberoamericana (1999), o Prêmio Iberoamericano José Martí (2001) e o Prêmio Internacional Menéndez Pelayo (2005). A poesia, dizia Benedetti, é "um sótão de almas", uma "claraboia para a utopia" e "uma drenagem da vida que ensina a não temer a morte". Mais.

Santo y/o seña

¿Dónde empieza la niebla que te esconde? MarioBenedetti
ignoro dónde

¿cómo puedes andar con pies de plomo?
ignoro cómo

¿cuánto cuesta vecer a tu quebranto?
ignoro cuánto

iba a cambiar seña por santo
mas después de vivir lo que se sueña
prefiero permutar santo por seña
aunque no sepa dónde cómo o cuanto

3 comments:

Paula Godinho disse...

Lembremos então Benedetti:

"hace ya tantas lunas
que pasé mi equador

los ojos cambian
nunca la mirada"

jrd disse...

O grande Benedetti bem acompanhado:

http://bonstemposhein-jrd.blogspot.com/2008/08/tania-libertad-e-joan-manuel-serrat.html

Abraço

Manolo Piriz disse...

Gracias, Paula.

A posia de Benedetti tem vida eterna. Isso já nos basta.

------

jrd, não conhecia o poema musicado que foi postado em seu blogue. Música e texto são de rara beleza. Belo post.