sábado, 15 de março de 2008

Os soldados não gostam de planícies, nem da pompa e circunstância

Morreu esta semana, aos 110 anos, Lazare Ponticelli, o último soldado francês (embora nascido italiano) sobrevivente da I Guerra Mundial. Disse sempre que não queria um funeral de estado, e tinha horror de cerimónias oficiais, nas quais, de resto, sempre se recusou a participar em vida. No entanto, sem surpresas, a república encontra sempre um modo de dar a volta ao texto. Lá estarão segunda-feira todos os seus representantes, a começar pelo presidente, as chefias militares, o protocolo de estado, e claro, as cameras de televisão, os directos, etc, etc... É a apropriação da memória e da História sem qualquer pudor, nem respeito por aqueles que a fizeram.

1 comments:

Bispo disse...

Quando o HOMEM acha que uma coisa é certa, impõe aos outros [à força, "para bem dele" ou porque "ele não sabe, é estúpido, mas assim é que se deve fazer"]. É esta a verdadeira falta de liberdade que ainda existe por todo o mundo e, provavelmente, irá continuar a existir.

Neste post em concreto, será mais o caso do "deixa lá aproveitar para me promover e ficar bem visto à conta d'um gajo que já não me pode fazer nada".